quinta-feira, 25 de maio de 2017

Tragédia na BR-277...alta velocidade e sem freio....

O motorista do caminhão que provocou um grave acidente na BR-277 nesta quinta feira, Jeferson Eduardo Borssato, de 31 anos foi preso e autuado por homicídio doloso, quando se assume o risco de matar. Nesse caso, não há a possibilidade de pagamento de fiança para que ele possa responder em liberdade. 
A carreta dirigida por Jeferson atingiu outros seis veículos em um engavetamento no KM 124 da rodovia, na região de Balsa Nova, na pista sentido Curitiba. Ao todo, três carretas e quatro carros se envolveram na batida. Seis pessoas morreram e outras três ficaram feridas.

Alta velocidade

O delegado Cassiano Aufiero é o responsável pela autuação e afirma que as perícias preliminares feitas até agora apontam que o motorista diria a uma velocidade entre 100 e 120km/h. O trecho onde ocorreu o acidente está em obras e há orientações para que os motoristas reduzam a velocidade. A velocidade pôde ser calculada a partir das marcas de frenagem deixadas na pista.
 Além de estar em alta velocidade, o veículo circulava sem o tacógrafo. O equipamento é como se fosse a "caixa preta" do caminhão e registra as informações das viagens feitas pelo veículos. Mesmo assim, os peritos analisaram os tacógrafos das viagens antigas e concluíram que, nas duas viagens anteriores, o motorista dirigiu a uma velocidade média de 120km/h. O que, para a polícia, indica que o motorista tem um histórico de dirigir em alta velocidade. 

Sem freio

Outro agravante indicado pelos peritos é que, carregado com uma carga de cerca de 30 toneladas de milho, a carreta estava totalmente sem freios. Ao analisar o veículo a polícia viu que os freios estavam suspensos. “Ele produziu esse resultado. Ele tinha a consciência de que ele poderia matar alguém. Ele assumiu o risco”, afirmou o delegado. 
O motorista foi submetido ao exame do bafômetro que não indicou ingestão de bebida alcoólica. O motorista está preso na Delegacia de Campo Largo onde permanece à disposição da Justiça. O advogado de defesa de Jeferson não quis comentar o caso. Agora, a policia deve ouvir as testemunhas e sobreviventes da tragédia. Os peritos ainda trabalham no laudo completo. 

quarta-feira, 8 de março de 2017

Acusado matar gerente dos Correios em Maringá é condenado ....

Aconteceu na terça-feira (7) no Fórum de Maringá, o julgamento de um crime de homicídio que ocorreu em setembro de 2014 na Rua Yoshinori Kubota, no Parque das Grevílas. O acusado Genivaldo Pereira da Silva Júnior, de 30 anos, foi preso na época pela Polícia Civil de Maringá por ter matado Devanir João Correia, de 32 anos, que na época era gerente de uma agência dos Correios. Além de atirar e matar a vítima, Genivaldo ainda atirou no dono da casa e cunhado de Devanir, Marcos Aparecido Mendes, de 49 anos, que foi atingido no joelho. Antes do autor do crime chegar em uma motocicleta para praticar o crime, Devanir conversava com a esposa na frente da residência. Genivaldo desceu a rua, cercou o casal e sacou da arma. A vítima tentou correr para dentro do imóvel mas foi ferida. Devanir morreu dentro da ambulância do Siate. O motivo que foi apresentado para a polícia na época era que Devanir trabalhava junto com a esposa do acusado, e que Genivaldo estaria com ciúmes porque a esposa teria recebido um telefonema do seu gerente pedindo alguns documentos. Telefonema e suspeitas deixaram Genivaldo nervoso. Genivaldo Pereira da Silva estava preso na Casa de Custódia de Maringá onde aguardava julgamento. O júri popular foi presidido pela juíza, Suzie Caproni Ferreira Fortes, tendo como promotor de acusação, Julio Cezar da Silva. O advogado de defesa de Genivaldo, José Carlos Ragiotto, que trabalhou no caso não conseguiu livrar o réu de uma condenação. O júri terminou às 22 horas com a juíza lendo a sentença do acusado. Genivaldo foi condenado em 14 anos, 8 meses, e 27 dias de prisão em regime fechado, e absolvido na tentativa de homicídio. O advogado José Carlos Ragiotto, disse ao repórter André Almenara que pretende recorrer da condenação. A família da vítima que ficou o júri acompanhando com camisetas com a foto de Devanir ficou aliviada com a condenação do acusado.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Ladrão é perseguido pela Dona loja e acaba preso ...

Um ladrão se deu mal ao assaltar uma loja de roupas no Centro de Paiçandu ,na tarde desta segunda-feira (06).
Ele foi perseguido pela dona do estabelecimento e preso pela Policia Militar no quintal de um imóvel.
O assaltante entrou na loja de roupas situada na Avenida Ivaí ,por volta das 14 horas ,pegou o dinheiro do caixa ,o celular ,um relógio pertencente á dona daloja e saiu correndo.
A mulher percebeu que ele estava desarmado e foi atrás dele .
enquanto isso ,a PM foi chamada e conseguiu localizar o autor ,de 23 anos,escondido no quintal de uma casa .
Ele foi preso e encaminhado á delegacia de Paiçandu ,onde deve responder pelo assalto ,
além de outros roubos que teria cometido na cidade .

Esposa Assume ter matado o Marido Policial...


Beatriz Pereira Torres, de 52 anos, compareceu na Delegacia de Homicídios de Maringá no fim da manhã desta segunda-feira (6) juntamente com a advogada e confessou ter matado o marido, Adalton Rogério Torres, de 56 anos, investigador da Polícia Civil. Durante seu interrogatório, Beatriz contou com detalhes e o motivo pelo qual tirou a vida do esposo. No último domingo (5), Adalton teve um desentendimento com a esposa. Houve agressão e até o envolvimento com o único filho do casal que foi defender a mãe. A briga foi parar na delegacia onde Beatriz registrou um boletim de ocorrência. Adalton estava tão transtornado que chegou efetuar disparos de arma de fogo no pátio da 9ª SDP. Os amigos de profissão vendo o risco de acontecer uma tragédia recolheram a pistola que o policial usava no trabalho. A esposa e o filho, John Klayton Torres, de 34 anos, não dormiram em casa após terem saído da delegacia. Já o policial civil foi pra sua casa na Rua das Margaridas, Jardim Maravilha. Na madrugada desta segunda-feira (6), a esposa foi até a casa onde morava com o marido e pegou uma das armas que Adalton tinha guardada e atirou três vezes no policial atingindo dois tiros no peito e outro na cabeça. Após matar o marido, Beatriz teria confessado o crime para uma amiga que acionou a Polícia Civil que imediatamente compareceu no local. Adalton estava deitado na cama já em óbito. Dois revólveres calibre 22 e 357 foram achados ao lado do corpo. O filho do casal que em tese teria participado do crime se escondeu em um quarto de motel na cidade de Sarandi onde horas depois foi localizado pela polícia. Beatriz quando chegou na delegacia estava com os olhos roxos de apanhar do marido, bem abalada, emocionada e ao mesmo tempo aliviada. A esposa disse ao delegado Diego Almeida, que viveu 37 anos sofrendo nas mãos do marido. "Em todos esses anos apanhei, e se eu tentasse procurar a polícia sofria mais ainda", disse Beatriz. No depoimento a mulher ainda disse que Adalton colocava a arma apontada em sua cabeça em algumas discussões, fazendo a "roleta russa". Após ser interrogada, o delegado liberou a esposa do policial para responder o crime em liberdade. O filho do casal também prestou depoimento e foi liberado. John Klayton estava muito abalado e chegou a ser carregado da delegacia. Adalton entrou para a Polícia Civil quando tinha 19 anos. Já passou pela seção de furtos e roubos, mas depois que dois amigos policiais morreram em Maringá acabou pedindo para trabalhar em outras áreas na delegacia. O corpo do policial civil Adalton Torres será velado na Capela do Prever do Cemitério Parque a partir das 19:30 horas. 

LADRÃO TENTA ROUBAR CAMPEÃ DE JIU-JITSU QUE TAMBÉM É POLICIAL...

A soldado Daniela Arouca, de 35 anos, e 11 anos na Polícia Militar, sofreu uma tentativa de assalto na noite de sábado (4) em Maringá. A policial estava tinha acabado de sair da igreja quando foi abordada por dois homens na Avenida Guaiapó. Um dos suspeitos mencionou estar armado mas não mostrou nenhuma arma. A policial pegou a pistola .40 e deu voz de prisão para os meliantes. Um dos rapazes saiu correndo, mas o outro foi puxado pela soldado. O ladrão tentou segurar a arma de fogo da policial quando a soldado Danny Arouca efetuou um disparo que acertou o para-brisa do seu carro. A policial que é bi-campeã brasileira, bi-campeã sulamericana, campeã europeia e campeã mundial de jiu-jitsu, conseguiu dominar o rapaz de forma que o mesmo desmaiou. A policial pediu reforço de uma viatura para conduzir o elemento para a delegacia da Polícia Civil de Maringá. Felipe César Macário Scarsi, de 18 anos, que é morador do Jardim São Francisco, disse na manhã de domingo (5) para o repórter André Almenara que não esperava em roubar uma policial, muito menos uma lutadora de jiu-jitsu. O preso disse estar arrependido e finalizou dizendo que ficou com medo de morrer.

TRÊS MORREM E OUTRAS TRÊS FICAM FERIDAS EM ACIDENTE NA RODOVIA EM MARIALVA...

Uma tragédia aconteceu no final da madrugada deste domingo (5) na rodovia BR-376 no KM 195 da rodovia de Marialva. Jovens que ocupavam um Chevrolet Corsa com placas de Mandaguari estavam vindo sentido a Maringá quando o motorista do carro perdeu o controle da direção caindo em uma ribanceira e batendo de frente contra uma árvore. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o socorro só chegou porque um dos passageiros que sobreviveu conseguiu subir o barranco de aproximadamente 8 metros de altura até chegar a pista onde pediu ajuda para um motorista que passava na hora. Quando o Corpo de Bombeiros e socorristas da Viapar chegaram no local do acidente, três pessoas já estavam mortas e outras três em estado grave. O adolescente de 16 anos identificado pelo nome de Diego Henrique Ferreira Noronha, foi encaminhado para o Hospital Metropolitano de Sarandi. Lucas André da Silva Oliveira, de 18 anos, e Leticia Caroline Ribeiro, de 17 anos, foram encaminhados para os hospitais Santa Casa e Universitário. Os corpos das três pessoas foram encaminhados para o IML de Maringá sem identificação. 

Atualizado: As famílias das três pessoas que morreram no acidente compareceram no Instituto Médico Legal de Maringá e fizeram o reconhecimento dos corpos. Adson Daniel Santana de 18 anos, Beatriz Regina Souza, de 16 anos, e Thalia Pinheiro Siebre, de 16 anos, foram as vítimas fatais. Todos eles moravam nos bairros Progresso e Esplanada, em Mandaguari.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Moradores de Sarandi sinalizam Buracos pra diminuir prejuízos...

Moradores de Sarandi estão descontentes com a quantidade de buracos nas ruas da cidade e a reclamação desta sexta-feira (3), destaca o problemão que enfrenta quem precisa passar pelo cruzamento da Rua Machado de Assis com a Avenida Rui Barbosa, no Jardim Independência. “Não é um buraco, é uma valeta”, diz um morador que ‘caiu’ com o carro no buraco.
Para evitar novos acidentes, os próprios moradores colocaram uma ‘placa’ sinalizando. Quando chove a situação fica ainda pior, pois a água acumula e não dá para ter noção exata do tamanho do buraco.
Os populares contaram que já pediram providências à Prefeitura e à Câmara de Vereadores, mas nenhuma resposta ou solução foram apresentadas até o momento.